1 de dez de 2014

Desabafo


Suspensa é como me sinto. No ar, apenas observando a vida acontecendo, realidades vêm e vão, mas nenhuma delas parece ser minha, ao menos não minha de fato. Fico olhando para os caminhos já trilhados, fico pensando em tudo que já foi dito, prometido, quebrado, e não, essas realidades não são minhas.
Na realidade que faço parte, ou que ao menos deveria as coisas eram mais simples, não se precisava mentir para se chegar a outro coração, dinheiro era algo secundário, e as pessoas te curtiam pelo que você é. Os bons sentimentos eram primordiais e tudo fazia sentido, havia uma lógica nisso tudo.
A realidade que é a mim imposta, é cruel, há sofrimento demasiado para os bons, e recompensa para os maus. Parece ser real, mas não é a minha realidade, nem meu lugar. São tantos caminhos, algum terá que dá em um lugar repleto de nobreza, onde a calmaria há de reinar.
O amor de duas almas entrelaçadas e predestinadas a ficarem juntas, na minha realidade é isso que acontece e não é um fato pontual, é constante, continuo, mas jamais corriqueiro. Amor ainda seria o sentimento mais sublime.

Karlinha Ferreira

4 comentários:

  1. Se não for sublime, não é amor. Hehehe! #SóAcho! Lindo, gatíssima! Bjocas e ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho, Fred... ^^
      Beijão...
      E o TPM a cada dia que passa esta mais lindo...
      ^^

      Excluir
  2. Adorei o texto, realmente a vida cotidiana está se tornando cada vez mais vazia, pois as pessoas tendem a esquecer as coisas que realmente dão sentido a vida, as coisas simples e valoriza as coisas que apenas preenche o ego circunstancialmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade meu lindo!
      Mas vamos continuar valorizando o que é bom e o que é sublime....

      Excluir