26 de abr de 2012

Encontro


Por algum tempo me esqueci de como os detalhes me atraem...
De como é bom apreciar as coisas pelas quais me atraio, ouvir o que gosto, fazer coisas que talvez só eu ache interessante e o resto da humanidade não. Mas creio que o melhor da vida está aí, em sermos quem nós somos, sem subterfúgios.

O melhor nas coisas que nos apetece é que em algum lugar do mundo alguém está pensando igual a nós, e se você tiver a sorte de encontrar com esse alguém para um pouco de álcool e um papo agradavelmente “louco”, será um instante interessante, inesquecível e inebriante.

Gosto de gostar do que gosto...
Gosto do que faz meus olhos brilhar...

Gosto da força, da fragilidade, do antagônico, do simples, de conversas, de gente, de histórias, da chuva, do frio, música me enlouquece e me acalma, lugares vazios me faz imaginar vidas, prazeres e tristezas... Gosto inclusive da melancolia que nos abarca quando esquecemos quem somos, e também da alegria do encontro, da alegria de voltar a conversar com nós mesmos, essência!

Prazer! Felicidade! É importante que sintamos prazer, para que a vida valha a pena, não creio em quem prega que a vida é feita de martírio, creio que cada dia que surge é uma oportunidade a mais que nos é dada para que sejamos felizes do nosso jeito... Cada um sabe o que é preciso para sorrir verdadeiramente... Para alguns basta um nascer ou pôr-do-sol, não creio em felicidades que custem milhões, mas acredito em instantes que valham uma vida inteira.

Karlinha Ferreira