29 de nov de 2010

Outra visão





Ás vezes é necessário se afastar, tentar sentir por um outro ângulo todas aquelas sensações que parecem nos sufocar. Sentir o impacto das dores de um ângulo menos egoísta.

Descobri que algumas verdades devem permanecer no porão e por elas sermos torturadas dia pós dia até entendermos que mesmo as pessoas boas fazem coisas que não deveriam vez por outra, e que a idéia não era atingir ninguém, que naquele momento ela só pensou talvez que fosse certo, ela não imaginária que anos mais tarde esse erro fosse ter uma influencia tão grande na vida de alguém.

Verdade é que em alguns momentos nosso grito tem que ficar preso até quase nos sufocar, que nem sempre dá para externar todas as dores, todos os medos, embora você quisesse está com alguém e que esse alguém tirasse aquilo de nós.

Não sei se por um “altruísmo egoísta”, ou se só por egoísmo “poupamos” o mundo do nosso lamento. Sem saber que o mundo também já está misturado a ele, que nossas energias se entremeiam e no fim do dia somos apenas mais um a lamentar, a arrepender-se, ou a ser tocado por alguém. Mais uma alma inquieta e inconformada.

Mas a vida exige que deixemos nossa dor de “lado”, no começo ela irá nos puxar tanto pra baixo que acharemos que não vamos conseguir, mas por um momento talvez meio que como uma anestesia, ou lobotomia deixa-se de sentir. Esquecemos por instantes doa dor e do peso que carregamos, do inconformismo. E nesse momento vemos que somos felizes, que esses que estão ao nosso lado merecem nosso melhor, pois já agüentaram de forma heróica o que temos de pior.

Embora a dor queira nos anular, mudar nossa essência, que a vida tenha sido tão cruel a ponto de matar nossa esperança, penso que sempre teremos o que agradecer, e ter com quem contar é uma dádiva. É bom não estar só com a solidão, é bom se sentir solitário com alguém.



Karlinha Ferreira

25 de nov de 2010

Mais ou menos assim


Para os amigos uma boa companhia...
Para quem namora alguém devota...
Pra quem não conhece, passa por qualquer coisa depende de quando e como a ver...
Despojada? All star, camiseta e jans? É sinal que ela ta bem! Não ta nem aí pra nada nem pra ninguém.
Muito arrumada fora de ocasião? Sai de baixo é melhor elogiar que a auto-estima ta no chão.
Sorriso faceiro...
Jeito moleque...
Alma grande...
Olhar de quem sempre espera mais...
Alguém que se apaixona fácil...
Cabeça dura...
Ás vezes orgulhosa demais...
Em outras espera a contrapartida do retorno, mas que não desanima quando ele não vem...
No peito uma silenciosa insatisfação com alguns erros que insistem em assombrar.
No coração a esperança de redenção.
Ao enxergar ainda continua a ver a magia no mundo, aquela que se aprende a ver quando criança e que com o passar dos anos as circunstancias tendem a tirá-la de nós. Mas ela ainda continua vendo e sentindo essa magia...
Ama Legião Urbana e MPB...
Mas sabe que um forrozinho ajuda a proximar...
Adora dançar...
Que é do tipo que se anima fácil, se for sexta então... nossa... Já era!
Ela ainda sonha... Sonha com um futuro que virá como recompensa pela luta.
Sonha acordada...
Nos sonhos que ela tem tudo fica bem, tudo é mais simples, sem jogos...
Acredita que amor é para sentir e demonstrar, o amor é aquele que ainda resiste ao tempo, a distancia e as dificuldades... Aquele que faz com que a gente queira ser melhor...
Alguém que sabe que por mais penoso que tenha sido o dia em algum lugar do mundo alguém teve um dia pior, então é sinal de que devemos agradecer...
Que amigo a gente escolhe pelo caráter, e pela esperança que ele deposita em nós, fora isso nada mais importa.
Sabe que algumas vezes alguns momentos vão querer mostrar que ser bom não compensa... Mas que esses momentos estão errados e que fazer o certo é sempre melhor...
Alguém que quer sempre mais da vida...
E que talvez sonhe demais!

"Conehcemos um homem pelo seu riso; se na primeira vez que o encontrarmos ele ri de maneira agradável, o íntimo é excelente!" (Dostoievski)

Karlinha Ferreira

23 de nov de 2010

Vida... hoje pode ser melhor!


Ouvi falar que temos que aproveitar bem os bons momentos porque nunca sabemos quanto á felicidade vai dura. E isso é verdade, ás vezes em meio a tanto stress, tantos planos que não podemos colocar em prática, a algumas energias negativas que não querem permitir que nos reergamos, sentimos algo diferente, e nesse momento percebemos que apesar de tudo estamos bem.

É bom continuar, é bom ainda estar na batalha. É bom simplesmente sentir uma felicidade inexplicável aos olhos dos outros, uma sensação que não dá para descrever, que a gente só sente, só percebe que estamos bem. E isso basta.

A vida nem sempre é generosa, mas faz toda diferença à forma como olhamos para o que ela nos oferece. A generosidade dela pode está nos momentos inesperados. Tudo sempre pode ser melhor se dermos o benefício da dúvida. Esse é o meu lema! Nosso ponto de vista nem sempre é o melhor, nem o mais certo, a vida tem muito a nos oferecer e as pessoas que cruzam nossa vida tem um dom descomunal de torná-la infinitamente melhor.

Acordei com esse imenso sentimento de gratidão hoje (embora tenha tido insônia e esteja acordada desde ás 3:30h da manhã, insônia é complicado) por tudo que a vida tem feito.
De fato, vez por outra só precisamos nos permitir ter uma visão caleidoscópica contagiada pela paixão, assim como os enamorados que vêem tudo em cores. Podemos ver tudo pelo melhor lado e também melhorar a vida de alguém. Penso que agindo assim vivemos melhor e bem!

Ótima semana a todos!



♫Eu quero ser feliz antes de mais nada♫
(Claudinha Leite)




Karlinha Ferreira

18 de nov de 2010

Mais ou menos isso...


Gosto bastante desse fragmento da Lya Luft, descreve bem alguns momentos que a vida insiste em nos impor.


"O amor nos tira o sono, nos tira do sério, tira o tapete debaixo dos nossos pés, faz com que nos defrontemos com medos e fraquezas aparentemente superados, mas também com insuspeitada audácia e generosidade. E como habitualmente tem um fim - que é dor - complica a vida. Por outro lado, é um maravilhoso ladrão da nossa arrogância. Quem nos quiser amar agora terá de vir com calma, terá de vir com jeito. Somos um território mais difícil de invadir, porque levantamos muros, inseguros de nossas forças disfarçamos a fragilidade com altas torres e ares imponentes. A maturidade me permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura. Às vezes é preciso recolher-se”.


(LYA LUFT)
Beijos,
Karlinha Ferreira

16 de nov de 2010

Hoje




Há dias que nada parece nos atingir, que somos “senhores” de nós mesmos, que o que está fora, simplesmente não nos atinge... São apenas vozes fora de nós. Mas em um dia como hoje parece que somos apenas um alvo fácil, que se fere, que sente, e que nem sempre consegue se defender.

Fragilidade, vulnerabilidade... Não estou acostumada com isso, com essas sensações.
Ser atingida não é o meu forte, nem nunca será, a vida me ensinou a nunca desistir. E que sempre que alguém disser que não é possível meu dever é provar que esse alguém está errado.

Que fazer o possível é pouco, e é simples demais pra quem procura algo grande, algo que emocione, algo que de fato me faça vibrar. Preocupo-me apenas em crescer... Voar... Trilhar e cada vez que me flagro pensando me imagino mais e mais longe...

O estado de inércia não é o melhor lugar do mundo para alguém nascida no ano do “tigre”, para uma jovem libriana, para uma hiperativa. Viver, mudar, lutar, sair do “morno” e ir direto para o quente, sair desse lugar que parece não se mover, parece um círculo interminável... Sair... Simplesmente...

Estou cansada de ter minhas mãos atadas, e de quererem me direcionar, hoje penso (talvez erroneamente para uma calvinista, mas só por hoje preciso pensar assim) que meu destino está em minhas mãos, e que correrei atrás do que julgo certo e digno. De algo que faça com que eu simplesmente tenha vontade de viver (não que eu queira morrer, entendam, mas algo que de fato chame mais a atenção que me entorpeça, me fascine) e que eu tenha uma causa, um sentido. O céu é o limite... mas quero trilhar o caminho de forma prazerosa e notadamente intensa!

Quero mais...



“Vivo a minha vida em círculos cada vez maiores que se estendem sobre as coisas. Talvez não possa acabar o último, mas quero tentar”
(Rilke)


P.S. Ótima semana a todos! Espero que tenham aproveitado o FDS!
Xerão




Karlinha Ferreira

12 de nov de 2010

FDS


Olá pessoal!

Hoje é sexta o melhor dia da Semana! Dia do DDC (Desvio De Conduta), dia de relaxar depois de uma semana stressante, dia beijar, de jogar conversa fora com os amigos, de paquerar de deixar a vida nos levar.

Amo a sexta mais do que qualquer outro dia na semana, meu humor fica excelente, e só eu e Deus sabemos o quanto esperei pela chegada desta sexta. Tive uma semana cansativa demais, gostaria de ser duas vez por outra, uma para trabalhar e estudar e a outra pra ver todos os filmes e séries que eu gostaria, e ler todos os livros...
Na sexta tudo pode acontecer! Rs...

Hoje são quatro aulas de Direito civil (sucessões), e depois DDC. \0/
Como diz Lulu Santos "VAMOS NOS PERMITIR, POR QUE NÃO HÁ TEMPO QUE VOLTE"



“É importante dar nosso amor independente do que encontramos como reação!”

(Roberto Shinyashiki)

.
P.S. Vi essa frase e achei perfeita! Ótimo fim de semana para todos e distribuam amor! Beijos
P.S.2 Adorei a foto. Rs



Karlinha Ferreira

6 de nov de 2010

O povo fala!


♫ Compensando a anatomia, o povo fala sem ter dó
São dois olhos, dois ouvidos, mas a boca é uma só
E fala, o povo fala mesmo♪
(Vox Populi, Ana Carolina)

Cidade de interior é uma comédia, todos sabem como viver a vida de outras pessoas, mas não tem ideia de como viver as suas próprias. A cada comentário que escuto digo pra mim mesmo ou pra alguém de quem estão falando “relaxa, jaja encontram outro alguém para falarem alguém que tenha sido traído, ou que eles achem que são amantes de alguém por estarem se vestindo melhor, ou alguém que pegue todo mundo, ou que tenha mudado a orientação sexual... afinal, o povo fala mesmo”. Resolvi dedicar um pôst especialmente para a mediocridade das cidades pequenas...

Cidade de interior.

Ou você é pegador ou é gay! (não há possibilidade de você ser solteiro e ser só alguém comum que espera a pessoa certa)
Ou demora o tempo que a sociedade julga necessário para casar ou está grávida. (Casamento rápido é igual à gravidez ou perda de virgindade)
Ou é freira ou é puta. (plagiando Rita Lee, Rs...)
Conversar com homem casado, pressupõe um caso. (mesmo ele seja alguém da família)
Se sair com as amigas com frequência é sapatão, se sai com homens “ta dando” pra eles... (meio termo não existe)
Se fica com os boyzinhos (nordestinês) é fácil, se não fica vai morrer sozinha. (o fato de só receber proposta de cafajeste não é levado em consideração)
Se a “boyzinha” (nordestinês de novo, rs...) é bonita e solteira, é sapata ou mal-amada. (não ter recebido uma proposta decente nem passa pela mente de ninguém, né?)

É, o povo fala...

Gente, ninguém escapa da língua do povo. Conheço pessoas brilhantes que sofrem com frequência por mediocridade alheia. Por pessoas inconsequentes que, acredito por total falta de satisfação com suas próprias vidas e por não saberem lidar com seus insucessos optam por denegrir quem faz sua parte.

Acredito que a regra e a única regra na vida é “ser feliz”, poxa, se no momento o que deixa alguém feliz é o “estar só”, ótimo, dedique-se aos estudos, ao trabalho, a arte, contanto que esteja bem. Se a outra pessoa o fato de namorar sem compromisso a atrai, ok, contando que sua mente aguente. Se te deixa feliz ter novas experiências ou mudar a orientação, cada um sabe de si, cada um só vai até onde dá. Já pra outras pessoas basta apenas viver com a arte ou em seu meio para que encontre a plenitude, outros são pesquisadores, outros querem seguir a tradição “casa, marido, filhos”, é permitido ser feliz! Não levanto a bandeira para nenhum dos lados, levanto e torço tão somente pela felicidade. Por que quem está feliz de verdade, quem se sente pleno, não gasta tempo com coisas negativas. Na realidade não consegue fazer outra coisa a não ser esbaldar felicidade.

Resumindo, acabo de perceber que pessoas assim, são infelizes e devem ser motivo de oração daqueles que creem, dignos de pena para os que se permitem sentir, e infelizmente se não houver mudança de postura atrairão ainda mais insucessos para suas vidas, e nisso acredito. A vida é um espelho e nossos atos refletem de volta pra nós.

“Uma coisa eu aprendi, planto amor pra colher o bem” (Marcelo D2)



Karlinha Ferreira