2 de dez de 2014

Efervescência


Meu sono anda irregular, mas isso não me causa espanto. Gosto da noite, e pareço repetitiva ao declarar meu encantamento com a noite/madrugada, mas é onde vivo os melhores momentos comigo mesma. É o instante em que me descubro mais, que vejo os erros e acertos do dia, e me sinto em paz, ou não.
O que está borbulhando na minha mente hoje é “efervescência”, penso no medo que sinto em passar por esse plano despercebida, sem ter vivido uma vida efervescente. Procuro viver da forma mais intensa possível, o tédio é o que acaba comigo, enlouqueço com a monotonia.
Às vezes se eu pudesse só viveria em “80”, sempre na intensidade, sempre no limite. Mas alguém me disse que a gente precisa moderar, de um meio-termo, confesso que me adequar a isso é bem difícil, gosto de novas sensações, novas descobertas. Mas também sei que a vida real exige essa moderação tão falada, tão pregada.
Não acredito que as pessoas se tornem efervescentes, ou são ou não são. Há quem se pode, mas prefiro alçar voo, e descobrir o que a vida tem guardado pra mim. Sabendo que isso sempre tem um preço, mas o que não tem?
Efervescência, continue vibrante, continue sedutora, que juntas desvendaremos o mistério que é a vida.

Karlinha Ferreira

4 comentários:

  1. Não se preocupe querida, você é efervescente por natureza! Impossível passar despercebida por esta vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que assim seja... Mas a vida é longa e vez por outra a gente se perde... Eis o meu medo...
      Beijo grande!

      Excluir
  2. Efervescentes!!! Todos temos nosso lado Sonrisal... hehe! Eu fervo muito e tu - pela forma que escreves - também né, môbeim?!?! Hehehe! Bjocas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rs... Sempre... Temos que extrair o que há de melhor desse mundo... O segredo é descobrir o jeito certo de fazer isso...

      Beijo grande, Fred! ;)

      Excluir