18 de nov de 2013

Maturidade


Infelizmente a maturidade chega apenas com o tempo. Lamento profundamente por não ter nascido madura, sábia e por só descobrir algumas coisas agora, hoje, depois de ter me machucado e ferido também outras pessoas.

Verdade é que errei, fui impulsiva por não entender meus sentimentos nem meu próprio querer, cai e me machuquei quando pensei que a “atração fatal” era o amor da minha vida, me magoei quando pensei que poderia “exigir” que o ser “amado” permanecesse, quando na realidade ele agiu bem em não permanecer com quem não queria.

Fui tola em acreditar que as experiências dos outros serviriam pra mim, nunca irão servir, sou outra, outra cabeça outra alma. Pequei em duvidar do brilho dos olhos, da respiração ofegante, coisas assim só acontecem uma vez, ou talvez duas.

A idade porém me ensinou que amor e paixão são coisas distintas, que a paixão tem um ciclo quando a gente ama, e que nem sempre coincide com o ciclo do ser amado. Posso amar uma pessoa e não está apaixonada por ela durante uma semana, um mês, mas depois a paixão volta, porém não deixamos de amar quando não estamos apaixonados. Mas é preciso que reconheçamos esse ciclo.

Ás vezes encontramos com o ser amado, e não estamos com a menor paciência, em outros dias queremos fazer jantarzinho romântico, dar presente, está perto, fazer carinho, distribuir beijos apaixonados... Mas o ser amado pode não está na mesma fase.

Acontece um problema quando não identificamos essas fases, porque pensamos que não amamos mais a pessoa, ou talvez seja nesse espaço de tempo que acabamos dando brecha a outras, e eu só aprendi quando errei de todas as formas, porque infelizmente a maturidade demorou a chegar...

Hoje entendi que o amor e a paixão nem sempre andam juntos. Que me apaixono pela mesma pessoa que amo várias vezes num ano, e que hoje não preciso trocar, é a pessoa que amo com as virtudes e defeitos, é a pessoa que se encaixa perfeitamente em mim e eu nela, apenas vejo os nossos ciclos acontecerem, e isso apenas me dá mais certeza de que estou no caminho certo. A melhor parte é quando estamos apaixonados um pelo outro.


Karlinha Ferreira

P.S. Parte do texto foi fruto de uma conversa com minha grande amiga Mel.