23 de dez de 2010

Natal


Natal, fim de ano geralmente deixa todo mundo melhor, é uma época mágica. Minha mãe, por exemplo, coloca o mesmo Cd há 11 anos nessa época, o Cd de natal do Cid Moreira. Já sabemos (meus irmão e eu) decorado, mas é natal, “tudo” é válido.

Contudo, esse fim de ano está sendo bastante diferente pra mim, não estou sentindo a magia, o encanto que entremeavam os meus sonhos e minha esperança. Talvez tenha sido os calos causados pela vida, ela não anda me poupando muito. Sinto-me também mais forte, mais pronta e simultaneamente cansada e esgotada. É complicado tirarem tanto de você e não dar a contrapartida do retorno.

Foi um ano em que algumas amizades foram colocadas à prova, onde desgastes emocionais ocorreram, onde nem todas suportaram as diferenças, onde o respeito acabou e consequentemente a amizade também, enquanto outras se fortaleceram. Quando no momento de dor, de dúvida e de melancolia souberam entender sem julgar, puxar a orelha, se decepcionar, superar.

Esse ano foi bem duro, mas amei não ter passado por ele sozinha. Foi bom ter para quem ligar, foi bom poder chorar e soluçar no telefone de arrependimento e ter quem dissesse “vai passar, é duro, é complicado, mas vai passar”, e de fato, passou!

Estava muito triste hoje, sentindo-me bastante lesada, mas enquanto vou escrevendo meu sentimento está mudando e estou começando a visualizar alguns rostos, a sentir o apoio, a força que era a mim passada meio que por osmose quando eu já não tinha nenhuma. Sinto a surpresa e a honestidade de quem apostou em mim, de quem depositou sua credulidade e confiança e (Deus!) como eu me esforcei pra não decepcionar, sei que fui muito falha em vários momentos, mas tentei ser o melhor que pude. E isso deve contar né? Que muitas vezes, embora não conheçamos de fato a pessoa que está do outro lado do PC, vez por outra ela faz toda a diferença na vida da gente, e quando conseguem ao ler um simples texto e através dele, desvendar nossa alma, e nos mostra uma ótica que nem sempre conseguimos ver. É bom tê-los por perto. De fato são amigos, de fatos sinto em muitos momentos que vocês sentem, que sofrem ou se alegram junto.

2010 seria um ano regido por Vênus deusa do amor, ano do tigre (meu signo no horóscopo chinês), tinha tudo pra ser o meu ano, e me esforcei pra isso. Errei de forma desgovernada, mas sempre tentando acertar. Talvez chore muitas noites ainda, talvez o fato de querer sempre mais, desse inconformismo constante em meu peito, essa sede por melhora, essa vontade vencer, possa ainda me deprimir, me decepcionar, ou gere ainda mais lágrimas, mas não fui criada pra desistir, continuarei tentando.

Está sendo um ano especial, e apesar de notar de forma dura que a vida é barra pesada, descobri que tudo pode acontecer se dermos o benefício da dúvida, que a fé que temos em nós e naqueles que amamos compõe parte do tripé que sustenta o mundo. Que se apaixonar e saber que o outro sente o mesmo, é tão forte, tão fortalecedor, que todo ser humano deveria passar por isso ao menos uma vez. Faz muito bem, nos melhora de forma grandiosa.

Desejo a todos que apenas tentem ser o melhor que podem, isso um dia será o suficiente pra alguém, e nesse momento a espera valerá a pena. Que ser feliz é permitido e que o que procuramos, encontraremos e saberemos pela forma que vamos nos sentir ao ver, ao tocar e ao estar perto.

Sério pessoal, é permitido ser feliz! Corra atrás da sua felicidade e coloque isso como meta número 1 na sua vida! E não ligue se por acaso você fugir aos padrões. A regra é simples, seja feliz!


Um excelente natal!

Apeguem-se a Deus, e o tenham como amigo, ele não é apenas fogo consumidor como pregam, ele é muito amor e muita paz também! Saúde e Paz o resto a gente é competente o suficiente para correr atrás!

Beijão a todos!

Karlinha Ferreira

21 de dez de 2010

Quem inventou o amor?

♫ Enquanto a vida vai e vem

Você procura achar alguém

Que um dia possa lhe dizer

-Quero ficar só com você
(Antes das seis, Legião Urbana)
.
.
P.S. Um início de semana bastante amoroso para todos vocês!
Curtindo Legião Urbana... é simplesmente ímpar!
Beijos

15 de dez de 2010

Lembrança



Nesta manhã ao ler o texto “UM FUTURO VIVIDO” escrito por Suzana Guimarães, fui bombardeada por lembranças que estavam tão ocultas e que vivia como se elas não mais existissem, que aquilo me deixou inquieta. Lembranças que na mesma medida que me faziam lembrar de pessoas por quem me apaixonei, traziam a imensa incapacidade/impossibilidade que tive de ser amada pelas mesmas.

Lembrei-me de como gostaria que as coisas fossem diferentes, de como aquelas noites (depois de ter mentido para o mundo quanto ao que sentia) e datas doíam...
Lembrei-me que me esforçava bastante para esquecer, que o “não lembrar” era o melhor a se fazer. Que esquecer, que me desvincular era a melhor saída que o destino apresentava. Apesar do sentimento presente em meu peito ser grande demais, forte demais e complacente demais. Melhor mesmo era esquecer. Por que, por mais que persistisse nesse querer insano ou genuíno, já que minha inclinação para esse sentimento chegava a ser absurda, nesse caso, querer não era poder, lutar não era sensato, por que toda batalha pleiteada por um só homem tem como destino a derrota.

É Suzana, seu texto me fez lembrar também de como era bom sentir tudo aquilo, e que a tristeza do querer sozinha, não foi a única fase que meu coração viveu, que durante algum tempo ele também foi feliz, uma felicidade insana, passageira, mas tão intensa que ainda hoje posso visualizar em algumas tardes aqueles olhos castanhos claros que ao olhar em minha direção causava um rubor inexplicável, lembro-me também do nosso primeiro encontro onde ele havia preparado um cd com várias músicas que eu amava, músicas eletrônicas (eu de piercing na sobrancelha, aparentemente roqueira) e que depois que me conquistou, ja no terceiro encontro vi que só curtia Bruno e Marrone e seus derivados(faz medo! Rs), era tão gentil, tão amoroso, tão dono da situação, tão forte que de fato não entendia a resistência e o porquê de ter um fim, o porquê de ter sido daquele modo, até que decidir esquecer. Decidi continuar, uma das sequelas de um coração partido é o se fechar, é o não permitir que pessoas entrem e façam o mesmo, ao menos até nos curarmos e estarmos prontas para outra pessoa, para correr riscos.

Não lembrava (ou talvez só me esforçasse muito para não lembrar) disso há um bom tempo, até ser invadida nesta manhã por esse texto. Hoje, embora já não faça mais sentido algum, ainda assim pensei nas causas, e nos “porquês” sem respostas.

Aprendi a viver, hoje, mais forte, e mais prevenida por assim dizer, não se pode saltar no escuro e sair ilesa, aqui não se trata de fé, aqui se tratava tão somente das vontades das partes. Vontades unilaterais não constroem relações nem relacionamentos.

Estou bem, mesmo tendo sido pega de surpresa por tantas sensações que de um modo bem íntimo, doeu. E que mesmo sendo tão familiar, nesta manhã me soou estranho.




♫Estou aprendendo a viver sem você
(Já que você não me quer mais)♫
(vinte e nove, Legião Urbana)




Karlinha Ferreira

9 de dez de 2010

Momento


“No momento em que ela pousou a cabeça em meu ombro o caos do mundo cessou, o momento se petrificou e então percebi que naquele momento, a paz me alcançou!”


Karlinha Ferreira
P.S. Essa semana estou ouvindo Norah Jones, CD "Come away with me". Bom demais!

3 de dez de 2010

Rs


"Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito".

(Clarice Lispector)

Ótimo FDS pessoal! Ótima sexta, aproveitem! Acordei muito bem hoje, por isso hoje Clarice fala por mim!


P.S. Foto antiga, mas que eu adoro (câmera VGA ainda,Rs)

Beijos,

Karlinha Ferreira