28 de out de 2010

Inacessível


Naquela noite o jovem estava ao lado daquela garota e podiam se tocar. Podiam sentir o calor um do outro. A paixão!
Conversavam sobre coisas da vida, fazíamos planos, ele concordava com ela. Namoravam com ternura, era tudo que a garota queria, quem dera não houvesse aquele muro, aquele porão sem luz...
Ela queria poder clarear, tranqüilizar e ajudar ao menos um pouco, mas ela não podia, a impediram de entrar. O porão continuava escuro, e a garota não desejava ser o sol para iluminá-lo, talvez o desejo mais pretensioso dela fosse o de ser um vagalume.
Um pouco de esperança e amor ela poderia oferecer... Quem dera o porão do jovem não fosse inacessível...


Karlinha Ferreira

26 de out de 2010

Hoje Jabor fala por mim!


Adoro essa crônica e adorooooooo o Arnaldo Jabor de um jeito assim, ímpar!

Nada melhor que iniciar a semana com ele!

Ótima semana para todos e espero que gostem da crônica!

Beijos!


Crônica do Amor

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.

O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.

Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no
ódio vocês combinam. Então?

Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a
menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.

Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama
este cara?

Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.

É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura
por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.

Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?

Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.

Não funciona assim.

Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!

Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa.

Arnaldo Jabor

21 de out de 2010

Posso tentar?



Fico irritada, louca quando determinadas situações me deixam impotente.
Vê quem você ama sofrer e você não poder fazer nada, absolutamente nada para amenizar a dor, o fardo é revoltante.
Só por hoje eu gostaria de entrar, é, que me deixasse entrar e tentar fazer algo por você, por que eu sei que se eu tentar eu consigo. Não tenho idéia de como ajudar, mas permita-me tentar.
Permita-me consolar...
Permita-me cuidar de você!
O amor tem isso de ruim, que na mesma intensidade que nos alegramos quando alguém que amamos está bem, nos entristecemos com profundidade quando os mesmos estão mal.
Não somos seres isolados. Relacionamento é algo tão mágico, tão difícil e tão ímpar por isso, por ter um apoio, uma testemunha para todos os momentos. Alguém que se importe. Porque seu sorriso parece o sol e hoje está apenas amarelo, sem brilho algum.
Só gostaria de entrar... É, entrar...
Entrar na sua vida e poder mostrar que sua dor também é minha.
De chorar junto, embora nem você saiba o porquê, mas se está doendo em você, eu também sinto.
Preciso apenas da sua anuência para entrar... Para compartilhar, para ficar.
Não quero que se esconda, todos tem maus momentos, momentos em que se sentem perdidos, mas saiba que encontraremos o caminho de volta. É normal perder o caminho ás vezes, é péssimo quando sentimos que ele foi tirado de nós, mas não precisa passar por nada sozinho.
Me deixa te ajudar... Me deixa tentar?
Se você deixar eu sei que consigo...
.
.
♫Diga quando e as minhas duas mãos
Irão consolá-la esta noite, esta noite
Diga quando e os meus dois braços
Irão carregá-la esta noite, esta noite♫
(Say When, The fray tradução )


Karlinha Ferreira

18 de out de 2010

Mar


O mar assim como a lua tem algumas peculiaridades que me atrai.
Há coisa melhor que olhar o mar e por do sol?
Há coisa mais tranqüila, romântica e melancólica?
A imensidão azul traz pensamentos, pessoas, momentos que você já havia implorado para esquecer...
Você percebe o quanto é sozinho...
Percebe que pessoas importam...
Reconhece que ainda pensa na pessoa que partiu seu coração (embora não comente com ninguém)...
Ah! O cheiro do mar... Que delícia!
Remete você ao mais encantador cenário, é romântico. É poético.
Há quem consiga ficar indiferente frente à maravilha que é o mar, a praia?
Amo pensar olhando para o mar...
Pensar nos amores... Refletir sobre a vida... Ou simplesmente jogar frescoball na areia da praia.
Tomar algo gelado... Ouvir boa música, gargalhar, segredar... Aproximar!
É incrível, por que até nosso humor melhora, algumas dores se vão quando estamos em contato com o mar.
Gosto bastante de simplesmente contemplar...
Olho e imagino o porquê de tudo...
Porque que não deu certo com esse? Ah! Se eu pudesse escolher por quem me apaixonar...
Por que tem tanta gente tão bonita, tão do bem, solteira? Por que fulano e beltrano não agem bem? As coisas poderiam ser mais fáceis.
Vejo também que estou bem, que tenho em quem pensar, tenho com quem sonhar! E que se apaixonar é bom!
Também lembro do meu pai quando vejo o mar, lembro-me dele e da lacuna que tenho por passar tanto tempo sem vê-lo.
Lembranças... É isso que o mar me traz!
Agradeço a ele pelas lembranças que são do que me alimento.



Karlinha Ferreira

15 de out de 2010

Lugares vazios


Eu em geral gosto dos lugares vazios. Percebo que a essência das coisas e lugares ficam mais fáceis de serem notada desse modo.

Certa vez estava fazendo a divulgação de um evento nas cidades vizinhas para a faculdade e pedi para meu colega parar em uma igreja que ficava em um engenho perto de onde estávamos, era uma igreja linda de 1817. Parecia até outro lugar, à frente dela era um sonho, um lugar arborizado, a luz do sol que penetrava entre uma árvore e outra, então entramos ali. Todos maravilhados por ser algo antigo e por estarmos meio que tateando a história. Mesmo eu tendo raízes protestantes, me senti bem naquele lugar, pela calmaria, por está desvinculado de “dedos” a apontar. Mas que ao mesmo tempo sabíamos que aquela pena igreja comportava muita dor, muitos lamentos, esperança e fé. Era um lugar bom de estar, por está vazio.

Outro dia estava voltando pra casa à noite, o céu estava lindo. E enquanto caminhava pra casa contemplava a noite. O barulho do vento e por alguns instantes até minha pequena cidade demonstrou um charme especial por simplesmente ser noite, está frio e as ruas vazias. Eu sabia que por cada casa que ia passando até chegar a minha existiam histórias. Algumas fascinantes e outras trágicas talvez. Eu me transportava para as histórias meio que me perdia em meus pensamentos enquanto caminhava. Enquanto contemplava o céu estrelado.

A sensação de poder sentir a noite, de poder imaginar as vidas que passaram por ali, as histórias de cada pessoa é algo mágico. E a paz de um lugar vazio é simplesmente entorpecente.
.
.
.
P.S. Semana de prova acabaou ontem, estou de volta pessoal.
Ótimo fim de semana! Beijo a todos!



Karlinha Ferreira

6 de out de 2010

Semana de prova!


Olá pessoal! Boa noite!

Ando meio sumida por que estou em semana de prova...
Estou pirando, por isso perdoem a minha ausência, ok?!
Dormindo tarde e acordando cedo, prova todos os dias até o sábado!
No fim de semana prometo que leio e comento em todos os blogs...
Saudades das postagens de vocês!

Beijos, e torçam por mim para que tudo dê certo! Rs

Karlinha Ferreira