9 de nov de 2014


O bom da vida é que somos um mistério para nós mesmos. Me flagro sentindo, pensando, agindo de forma que nunca imaginei. Vou de um extremo a outro facilmente.
Confesso que a adrenalina que é causada por essa energia que minha mente abriga serve como combustível para querer sempre mais, interna e externamente, como conhecer o outro ou um lugar bem, se nem gastamos energia tentando nos conhecer?
Aprendi que ter consciência das virtudes e defeitos é primordial, e vou além, ter consciência dos próprios limites. O autoconhecimento faz toda diferença no cotidiano, ficamos preparados para enfrentar o mundo de frente, de peito aberto e aprendendo para quem devemos ou não nos expor, sei que é impossível acertar sempre, mas tentando a gente consegue.
Quanto mais o tempo passa mais tento me decifrar, isso é instigante, por vezes doloroso, principalmente quando descobrimos que a pessoa que desejamos ser está distante daquela que estou sendo, mas o melhor em tudo isso é que a pessoa que quero ser, existe, é real, só preciso batalhar para ser quem eu quero ser e posso ser quem eu quiser, inclusive eu mesma.

Karlinha Ferreira

2 comentários:

  1. Natália Santana.09/11/2014 19:36

    Caramba, super me identifiquei.. Amei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Natália, fico feliz...
      Bem vinda ao meu universo particular... =D

      Beijo

      Excluir