30 de out de 2014

Inquietude


Essa inquietude não me larga.
Janis Joplin disse certa vez: o pior que podem dizer a meu respeito é que eu nunca estou satisfeita. A insatisfação de não se conformar somente com o que é oferecido, mas agarrar a vida pelo colarinho e extrair dela o máximo que se pode, dessa insatisfação sim, eu sofro. Sou insatisfeita, sou inquieta.
Há pessoas que falam com desdém da Janis, mas na realidade entendo que ela não precisou viver 100 anos para se eternizar, ela fez em 27 anos aquilo que a maioria de nós não consegue fazer em uma vida, ou até em duas.
Tenho um espírito livre, inquieto, e é ele que me move, desejo sempre mais, minha vida sempre clama por intensidade, não consigo ficar muito tempo parada é como se a ansiedade, fosse a instiga, o sinal de alerta para mudar, para se correr atrás de algo novo.
Minhas ambições se resumem as coisas que meus olhos querem ver, e desejo muito e muitas coisas. Tem uma razão para eu ser do jeito que eu sou, em geral não peço compreensão, há coisas que são só minhas, há sonhos que quando externados perdem parte da magia, então prefiro guardar naquele lugar da minha alma que visito nas noites estreladas durante a madrugada.
Não importa quanto tempo demore, alguns sonhos foram feitos para serem realizados. Talvez venham com intenção de deixar esse plano mais suportável, mais sublime ou apenas para renovar a magia no mundo.

Karlinha Ferreira

2 comentários:

  1. Alguma insatisfação até que cai bem... quando ela nos impulsiona a lutar pelo que realmente queremos. Janis era das minhas... #sóacho! Beijocas, Karlinha! Boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade!!! Ela também era das minhas.... Rs...
      Essa inquietação sempre tem que nos impulsionar pra frente...
      Beijo grande

      Excluir