18 de nov de 2015

13-04-2015






4:52h da manhã. Este ano ainda não havia visto o sol nascer, e ainda não vi, mas daqui para o final do texto isso com certeza vai acontecer. Mais uma noite insone, porém diferente de tantas outras que tive, sinto-me bem. Minha cabeça parece ter me dado uma trégua e os pensamentos apesar de acelerados, estão ordenados, diferente de dois dias atrás.
Gosto desse horário, da brisa gélida da madrugada, do silêncio, e do único barulho tolerável é o dos pássaros anunciando o início de um novo dia.
O céu está começando a mudar a tonalidade o azul que a pouco se confundia com o preto, agora está azul escuro, e consigo enxergar alguma coisa. A luz tem um poder descomunal, o céu está claro, não em sua totalidade, mas está e gostaria que esse clima perdurasse durante o dia.
Olho pro céu e vejo nele algo de místico, algo que eu pudesse olhar e fazer um pedido, pedir qualquer coisa, meio que em forma de oração. Nunca havia feito isso, mas hoje pedi, ando precisando de um pouco de atenção, e se eu for ouvida e se me derem importância só uma vez, terá sido suficiente.
Que o dia de hoje seja o primeiro de muitos em que seja feito a diferença e que o amor sempre se sobreponha à intolerância.
Karlinha Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário