5 de out de 2011

Noites insones




Noites insones...
Caminhos que inebriam...
Vozes que acalmam...
Vontades que devoram...
Divago em mim, divago assim... entre os sonhos.
À noite tudo renova, abate e constrange.
Andarilha na própria mente...
Sentido, cadê?



(Karlinha Ferreira)

7 comentários:

  1. Às vezes o sentido está apenas em gestação, mas vai dando pequenos sinais...

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  2. Um texto belo assim dispensa dúvidas, nos leva com certeza ao DNA da humanidade.

    Gostei muito!

    Beijos,

    Suzana/LILY

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo Karlinha!
    Amei!
    bjossssssss

    ResponderExcluir
  4. muito bom vir aqui...
    belo texto.
    Maurizio

    ResponderExcluir
  5. Às vezes a gente só demora a perceber o sentido e às vezes ele inexiste mesmo...

    Beijos, flor.

    ResponderExcluir
  6. O sentido virá!
    é sempre bom vir aqui ao seu cantinho!
    Bjnhos

    ResponderExcluir
  7. Divagações nos levam para ao encontro do sentido da vida...
    Noites insones,tentando encontrar respostas,que nos são sopradas em forma de acontecimentos.

    Grande beijo querida!ótimo final de semana pra vc!

    ResponderExcluir