27 de mai de 2010

Amor Eterno!



Ontem pela primeira vez consegui ver beleza na morte, e olha que eu a conheço bem já que trabalho na área de saúde, mas nunca a vi tão bela!
Como tudo na vida é bastante relativo, está ai Einstein que não me deixa mentir, ouvi o relato de um filho triste ao ter perdido mãe e pai no mesmo dia. Detalhe: acidente de carro? Não. Ambos morreram no mesmo dia, mas em hospitais diferentes e um sem saber da gravidade da saúde do outro!
A esposa que parecia estar melhor partiu primeiro e 20 minutos depois numa UTI de outro hospital ela foi buscar seu marido, sua alma gêmea! Segundo o filho: "os eternos namorados não conseguiram desgrudar um do outro nem por 20 minutos!"
Que inveja da morte que pôde ver e ser testemunha de um amor eterno! Pena que existam tão poucos amores deste tipo, mas se crermos e continuarmos sempre questionando e não nos acomodando com o caminho desta DEShumanidade, que não ama, não cuida, não se importa, um dia quem sabe possamos encontrar também nossa alma gêmea!
Oscar Wilde escreveu: O segredo do amor é maior do que o segredo da morte.
Fabiana Muniz

6 comentários:

  1. Abalou , Arrazou

    Eitha História da Pesti kkkkk
    Muito Linda
    Hoje Em Dia Tá Super , Hiper Mega Dificil Encontrar Um Amor Assim !!!
    Mas Vamos A LUTA né karlinha !!!

    =O amor Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

    ResponderExcluir
  2. Amarelaaaaa
    Eu quero este belo e desconhecido AMOR citado ai!!! Tô na filaaaaa.

    ResponderExcluir
  3. Claudiane Sousa27/05/2010 19:26

    Beleza e morte. Algo que realmente parece não ser homogêneo. Pra quem lida com isso constantemente parece ser agonizante ou até irrelevante, se você for do tipo de ser humano gélido e alienado que com o tempo se vê distante da realidade que o cerca.

    Mesmo tendo experiências trágicas a respeito da morte, acredito com veemência nessa experiência em específico, a morte pode ser bela, basta existir alguém para vê-la de tal forma.

    Deixo uma sugestão para leitura, A menina que roubava livros de Markus Zusak (Intríseca), nele a Morte torna-se narrador, com direito a apresentação formal e tudo mais. Belíssimo livro.

    “Nao sou violenta. Nao sou maldosa. Sou um resultado” – A Morte, A Menina Que Roubava Livros.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. (Ferguson Patrício...Recife-PE) Faz muito tempo que não leio nada assim, tão belo. Acho que é assim que as pessoas devem, se amar, se entregar assim; Talvez um dia quem sabe. Espero que ao menos eu e vc consiga achar a nossa alma gemea. E que nos leitores tenhamos a oportunidade de uma morte perfeita.

    ResponderExcluir
  6. Falou a Darda!

    Valeu pela resposta Sereia.
    Temos que ter esperança, por mais longínquo que o amor verdadeiro pareça, precisamos crer que seremos alcançadas por ele algum dia.
    É, a morte de fato foi motivo de inveja por ter contemplado algo tão duradouro, tão puro...
    Espero sinceramente que um dia possamos encontrar nosso caminho, o caminho para o amor, ou ele nos encontre, "cansa nadar contra correntes sempre tão semelhantes" (Maytê Proença)

    Obrigada Sereia... Rs... Xerão

    ResponderExcluir