17 de mai de 2010

Luta


Lutar contra os outros é difícil, mas lutar contra nós mesmos é a pior das batalhas. A luta contra nossa insatisfação, contra nossa inclinação para o mal, onde nem sempre saímos vitoriosos.
E... Acabamos magoando, decepcionando as pessoas que mais respeitamos. No fim do dia permanecemos insatisfeitos. Em muitos momentos com vergonha e impotentes. É extremamente doloroso o processo de permanência de luta pelo que você acredita.
Esse conflito (bem/mal) é muito desgastante. Ás vezes sinto-me igual a Davi nos salmos 13 e 51, com a sensação de que fui esquecida em meio a esse tempo e com a extrema necessidade de ser renovada, de ter meu espírito renovado. De ter aquele anseio apenas pelo bem, de conseguir desviar das armadilhas colocadas pela vida e de poder ficar firme. Permanecer reto e coerente, pelo simples fato de não aguentar ser de outra maneira.
A queda talvez nos ajude a ver isso. Ontem conversei com alguém que há muito tempo não conversava, cheguei a imaginar certa indiferença, descuido, mas ontem Ele foi tão atensioso ao me ouvir que acabei por esquecer de tudo. Falei pra Ele que ando cansada... e não muito feliz. E que estava precisando de um pouco de atenção.
Gostaria apenas que Ele ajudasse a manter-me de pé!

“Não ser ninguém exceto você mesmo, num mundo que se esforça dia e noite para torná-lo igual a todo mundo é lutar a pior das batalhas que todo ser humano pode enfrentar e nunca deixa de lutar.” (E.E. Cummings)

Karlinha Ferreira

3 comentários:

  1. Ainda bem que ELE existe... é a quem recorremos sempre... É o único que não nos deixa jamais.

    Ezequiel 16:8

    Beijão!
    Magal

    ResponderExcluir
  2. Deus... o único que não nos deixa só, pois permenece fiel mesmo quando não somos.
    Sem Ele não somos absolutamente nada!
    Beijosssss!!!

    Larissa

    ResponderExcluir
  3. Amei o texto. Concordo plenamente!
    te adoro
    beijos !

    ResponderExcluir