12 de mar de 2014

O outro



Noite de brisa fria, noite que acalma a alma e traz paz ao coração.
Gosto de noites assim... Noite que só uma estrela no céu aparece na janela, e ela parece sorrir, parece segredar seus mistérios e as histórias das quais foi testemunha.
Apesar da dor e das preocupações inerentes a quem não recebe notícias, essa noite está renovando minha esperança e dizendo quase que sussurrado que tudo está bem. Que apesar de não ter o controle de tudo, apesar de muitas coisas escorrerem por nossos dedos enquanto as seguramos, o sentimento de que fizemos tudo que poderíamos ter feito, é reconfortante.
Estou aprendendo cada dia mais que as relações são vias de mão dupla. Não dá pra tentar fazer tudo sozinho. E ás vezes penso “mas seria bom se eu pudesse”. Pensamento tolo. Não dá. Ninguém aguentaria. A contrapartida do retorno vem como resposta as nossas ações.
Rilke certa vez escreveu: ...Não acredite que quem procura consolá-lo vive sem esforço, em meio às palavras simples e tranquilas que às vezes lhe faz bem. A vida dele tem muita labuta e muita tristeza e permanece muito atrás dessas coisas. Se fosse de outra maneira, nunca teria encontrado aquelas palavras... (Cartas a um jovem poeta)
É incrível como pensamos pouco em quem nos estende a mão, não é? Ao menos não nos questionamos sobre sua dor, nem sobre seu sofrimento, cada um vive com seus porões, e com o resíduo de seus erros, é tolo pensar que seu problema é o maior só porque é você que está sofrendo, quando há bilhões de pessoas sofrendo demasiadamente, tendo cada uma suas próprias razões.
Todos nós sofremos de um jeito ou de outro. A diferença está  no jeito com o qual lidamos com a dor.

Karlinha Ferreira

6 comentários:

  1. Bem nessa, Karlinha!!! E te digo mais: além dos porões ainda existem os sótãos... hehe! Adorei! Bjos, queridona!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Fred...
      São tantos lugares, e tantos fantasmas... Mas são nossos...
      Beijo grandão, seu lindo!

      Excluir
  2. Texto perfeito na definição de nós nos outros, ou os outros em nós... sei lá (rsrs).
    Parabéns amarela por mais um escrito agradável e desafiador!!! Te adoro.

    Wyara Romão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amarela linda!!!

      Que bom que gostou...
      Beijo enorme...

      Excluir
  3. "Todos nós sofremos de um jeito ou de outro. A diferença está no jeito com o qual lidamos com a dor". [2]

    ResponderExcluir