22 de ago de 2012

Destino




Eu sempre estive aqui, sempre soube o que quis e quem quis, mas tudo isso não mais me cabe, o mundo tem suas fases e suas transições e a cada fase e transição somos afetados, somos tomados, e ficamos sem respostas, só com os “porquês” e de repente como se fosse natural, paramos de correr atrás das respostas e paramos de tentar explicar, então começamos a nos deixar levar e vê o que a vida nos reserva, o destino é um tolo, e todos nós fazemos parte do resultado dele.

É como quando tentamos tomar o sentimento, adestra-lo e direcioná-lo para o que julgamos ser o melhor, mas não é assim que acontece, ele simplesmente nos toma, nos pega e somos apenas o a soma dos sentimentos que tomam conta de nós, somos a confusão dos conflitos causados pelo nosso querer.

Precisamos nos permitir sentir... Não é a gente que toma o sentimento. É ele que nos toma, só precisamos aceitá-lo, e vivê-lo... Tudo acontece pelo querer do sentimento...

Karlinha Ferreira

6 comentários:

  1. Saudades de você karlinha
    Do teu carinho, das tuas palavras

    Precisamos nos permitir sentir... Não é a gente que toma o sentimento. É ele que nos toma, só precisamos aceitá-lo, e vivê-lo... Tudo acontece pelo querer do sentimento...

    Grande beijo :))

    ResponderExcluir
  2. Ê! Ainda bem q vc apareceu! rsrs

    Deixe-se ser levada pelo sentimento Karlinha... por que querer adestrá-lo? Viva-o!

    BjOka

    ResponderExcluir
  3. Que bacana isso, menina!
    E bem-vinda de volta. Eu e o TPM já estávamos com saudades! Beijos, querida!

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda sou muito avesso a me entregar totalmente. Eu era assim antes e me ferrei muito. Apesar de gostar muito do amor e escrever tanto sobre, eu acho que o maior amor que a gente pode ter é o próprio.

    ResponderExcluir
  5. Que bom que curtiu, Karlinha! Ótimo findi pra ti, menina! Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Às vezes sinto mesmo que somos a soma dos sentimentos que existem em nós, mas na maioria das vezes, por mais que nos achemos corajosos demais, apenas os adestramos mesmo... sentir e viver, já é outra história...

    ResponderExcluir