27 de ago de 2010

INVENCÍVEL


Desde a noite que sobre mim se abate,
Negra como seu insondável abismo,
Agradeço aos deuses se existem,
Por minha alma invencível,
Caído nas garras da circunstância,
Nada me faz chorar nem pestanejar,
Minha cabeça ensangüentada segue erguida,
Mais além deste lugar de lágrimas e ira,
Jazem os horrores da sombra,
Mas a ameaça dos anos,
Encontra-me, e me encontrará, sem medo.
Não importa quão estreito seja o caminho,
Quão carregada de castigo a sentença.
Sou o senhor do meu destino;
Sou capitão da minha alma.

Sir William Ernest
Henley (1849-1903).
P.S. Adoro esse texto! Perfeito!
Sou bastante apegada a ele. Rs

2 comentários:

  1. quer me matar de inveja????show da Ana Carolina! Assim não vale, é golpe baixo rsrsr

    bjo

    ResponderExcluir
  2. td bem, td bem vai!eu me conformo!rsrsr

    olha, eu acho q a música que eu gosto ela nãoe stá tocando nos shows atuais... é a "Carvão" sabe?
    "surgiu como um clarão...."

    ta me devendo um brinde se ela cantar hsuahsuuahs

    bjok

    ótimo show

    ResponderExcluir