24 de mar de 2016

O que você prefere?


As pessoas são diferentes. Não sei o que fazer quanto as diferenças gritantes, um dia alguém me disse: não trate as pessoas como você gostaria de ser tratado, as pessoas podem ser diferente. Isso nunca fez tanto sentido.
Mas acredito piamente que em algo todos concordamos, ninguém gosta se ser escória ou ser tratado como tal.Todos clamam por algo mais.
Aprendi que é bom tratar as pessoas bem, aprendi a sorrir independentemente das situações que me circundam. E percebi o quanto era prazeroso quando as pessoas sorriam de volta. Vi que ninguém pode viver em uma bolha, cedo ou tarde elas estouram, murcham ou te entediam.
Com o tempo entendi que devemos atribuir a cada pessoa apenas o real valor que elas tem nas nossas vidas, de forma emocional, isso nos preserva de desgastes. 
Notei que fazer alguém se sentir mal jamais será uma forma de eu me sentir bem, e que todos estamos de alguma forma ligados, quer seja por boas energias, quer seja por energias negativas, de um jeito ou de outro sempre seremos atingidos, não há proteção perfeita, você terá que escolher um lado. Como você vai querer se ligar a alguém? A não ligação nunca foi uma opção. Talvez uma distração aos desavisados.
Karlinha Ferreira


Nenhum comentário:

Postar um comentário