17 de fev de 2016

Devaneios de uma mente insone


Olho para esse céu estrelado em plena madrugada e a única coisa que me reconforta é saber que dentre bilhares de pessoas no mundo há alguém que se sente exatamente como eu.
Alguém que embora algumas coisas deem certo, sente-se com um aperto por dentro, um nó na garganta. Isso embora pareça egoísta diminui essa sensação de solidão que consome, esses pensamentos que me angustiam, à ponto de não querer que a noite acabe, mesmo que essa/essas pessoas estejam a quilômetros de distância, não parece ser tão ruim ser solitário, porque de um modo estranho, não sou solitária sozinha.
Hoje entendo o porquê de algumas pessoas preferirem a dor física, ela te distrai do que está realmente te matando por dentro.

Karlinha Ferreira

Um comentário:

  1. <3 Sempre sendo perfeita com as palavras. Minha morena! :3 rs´

    ResponderExcluir